Publicado por: Filomena Barata | Novembro 10, 2014

Por um país a nascer, Filomena Barata

Elas eram as heroínas de um país a nascer.
Lavravam, criavam, vendiam, garantiam a família quando os Homens estavam na guerra, quem sabe batalhando bem mais do que eles, para que os filhos pudessem comer.
Era assim, horas e horas a trabalhar, parecendo que o dia não tinha fim!
Deserdadas da terra que as vira nascer, ainda iam aprender, estudando.
E continuavam, filhos às costas e equilíbrios na cabeça como não se pode imaginar.

1185721_10201941133838687_574552179_n

Fotografia Filomena Barata

Diz o texto do blogue que partilho que a «palavra zungueira vem de zunga, que é originária da língua Kimbundo e quer dizer andarilha, andante».

http://daafricacomamor.blogspot.com.br/…/mulheres-zungueira…

E hoje? O que são as Mulheres de Angola ou as de Portugal?

As mesmas horas, os mesmos dias.
Caminhantes ainda para que a vida se possa fazer…

Hoje não há, felizmente, guerra. Mas estas Mulheres, aqui ou ali, continuam a ser, homens ausentes ou emigrantes, o que faz os países terem chão, mas também ar para viver.

Até que um dia, mesmo com as costas cansadas, digam alto: vamos lá deixem-se de histórias e vamos todos trabalhar de igual modo e aqui!

Olá Angola, olá Portugal. Parabéns por um país a nascer!

Eu zungueira serei.

Fotografia de Paulo Percheiro

Fotografia de Paulo Percheiro


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: