Publicado por: Filomena Barata | Novembro 15, 2012

João Pessoa, Memórias

Fiz a instrução primária no colégio Lusitano, que ficava na rua onde eu morava, na Vila Alice, paralela à estrada de Catete.
Um dia a professora (não me recordo do nome, pode?…) mandou fazer uma redacção da casa onde morávamos ou onde gostaríamos de morar.
Eu pensei: “da minha casa não vejo flores, nem árvores, nem o mar; Não havia nenhuma montanha, nem as casas dos vizinhos tinham alguma coisa que pudesse dar uma redacção em condições. Então, usei a segunda hipótese, imaginar a casa onde gostaria de viver.
Inspirei-me na Cela, na Província do Quanza- Sul, onde eu passava férias com os meus pais, em casa de uns amigos deles.
Então falei que, quando acordava bem cedo, na Cela, sentia um fríozinho, que levava a minha mãe a vestir-me uma camisola de lã. Era estranho eu vestir uma camisola de lã em África, mas ali de manhã, todos se agasalhavam àquela hora.
Respirava um ar diferente, daquele que respirava em Luanda.
Então descrevia o que fazia durante o dia.
Contava que gostava de ver as vacas irem para o pasto na montanha e depois como eram mungidas.
Finalmente, dizia que habitualmente, tomava o mata-bicho, na fábrica do queijo da Cela. Claro que descrevia como era feito o queijo e como eu gostava daquele sabor…
Para encurtar as coisas, quando chegou a hora de entregar as redacções, foram escolhidos três ou quatro alunos para lerem o que tinham escrito. Eu fui um deles e fui o primeiro a ler.
A senhora professora, mandou-me sentar, depois de eu ler, e disse:
“Menino João, ainda não percebeu que vive em África?
Não sabe que o que está a contar não existe em Angola?
Os seus paizinhos só lhe mostraram a cidade de Luanda?
Vou lhe dar um “mau”, porque o menino não cumpriu o que lhe pedi!
O menino não estava com atenção na aula; estava a sonhar ou quê?”
Eu tinha 9 anos, e fiquei cheio de problemas de consciência. A senhora professora tinha toda a razão: Eu estava a sonhar!
Mas depois pensei, “na Cela, de manhã, fazia um friozinho tão bom!”
João PessoaP.S. -Obrigado ao José Augusto Duarte Ferreira, por me fazer lembrar deste episódio da minha infância.

Responses

  1. João Pessoa, os seus pais devem ter conhecido a minha irmã, Maria Salomé Vieira Monteiro: ela foi professora na Cela (Colonato Europeu da Cela – raio de nome…) na aldeia da Pena, anos 50. Estive lá algumas vezes e também senti esse friozinho


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: