Publicado por: Filomena Barata | Outubro 25, 2012

O Dia Mundial da Massa, Maria Clara Santos

O Dia Mundial da massa

O mundo é pródigo em ideias. Invenções. Aliciantes. Curiosidades e até ridicularias.
Não sei onde cabe o dia mundial das massas. Mas eles lá sabem. Saberão?
Sei que cabe à minha mesa e na minha bolsa. Na boca e no palato. No prazer e nas caixas registadoras. Em qualquer ” ristoranti “. Na mesa dos portugueses,tanto como na dos italianos. Mas não nas contas. Vai escasseando e privando-nos assim de escolhermos uma qualquer pizaria para nos regalarmos com um belo e saboroso prato di pasta. Lá está, pasta. Pressupõe, bem abonada de massa. Nos tempos que correm, direi que, tarde piaste. Está tudo de tanga e não tarda nada a população ficará que nem um esparguete escorrido e al alho que é para nos irmos alimentando que não somos mais que os italianos que adoram esse pitéu.

Mas afinal que dia é hoje?! Diz que é o dia mundial da massa. Ocorre-me coisas boas como massada de marisco, embora haja pouca massa para um prato de custo tão elevado. Depois, penso em todos os restaurantes de pasta onde se come massas de todo o tipo; quentes e frias. Em saladas.No forno. Macarrão, penne, fusilli, tagliatelli. E tantas outras. Há até a aletria que os nortenhos adoram, sobretudo no natal e na páscoa. Eu também, que tenho lá as minhas origens e isso está na massa do sangue. Há também a massapão mas isso são contas de outro rosário e tem a ver com o sul e os doces bem algarvios. E por fim há também uma forma de fazer pão que é amassando a massa, ou rebocando paredes que é fazendo argamassa.
Da outra massa há muita variedade evidentemente,só que não se passeia pelas nossas contas com a mesma variedade de quem está bem instalado na vida e com os bolsos a deitar fora de tanta massa que conseguem, sabe-se lá como, ou sabe-se lá porquê.
Ocorre-me a canção de intervenção tão actual: eles comem tudo, eles comem tudo, eles comem tudo e não deixam nada. Nem sequer uma bolonhesa para nos aconchegar o estômago e a alma.
Enfim, com todo este relambório esqueci-me de dizer que hoje o meu almoço é uma massa negra com salmão fumado. É para celebrar o dia, que eu gosto de celebrações. Quem encostou a barriguinha ao balcão assim como que a dizer que aqui quem é a pessoa da massa, quem é ?! A minha cria que por acaso adora massas.
Ah, a propósito, levou-me ao Campo Pequeno no domingo, à pizaria Delci. Eu escolhi pasta à Delci. Maravilhosa. Ela pasta ao pesto. Maravilhosa também. Quanto à massa despendida, enfim, nem tanto ao mar nem tanto à terra. Pode dizer-se que já comi muito mais caro em Lisboa e não tão bem. O atendimento óptimo e o lugar um must. As pessoas que lá estavam, tudo gente com alguma massa e querendo comer massa.

m.c.s.

O Dia Mundial da massa

O mundo é pródigo em ideias. Invenções. Aliciantes. Curiosidades e até ridicularias.
Não sei onde cabe o dia mundial das massas. Mas eles lá sabem. Saberão?
Sei que cabe à minha mesa e na minha bolsa. Na boca e no palato. No prazer e nas caixas registadoras. Em qualquer " ristoranti ". Na mesa dos portugueses,tanto como na dos italianos. Mas não nas contas. Vai escasseando e privando-nos assim de escolhermos uma qualquer pizaria para nos regalarmos com um belo e saboroso prato di pasta. Lá está, pasta. Pressupõe, bem abonada de massa. Nos tempos que correm, direi que, tarde piaste. Está tudo de tanga e não tarda nada a população ficará que nem um esparguete escorrido e al alho que é para nos irmos alimentando que não somos mais que os italianos que adoram esse pitéu.
Mas afinal que dia é hoje?! Diz que é o dia mundial da massa. Ocorre-me coisas boas como massada de marisco, embora haja pouca massa para um prato de custo tão elevado. Depois, penso em todos os restaurantes de pasta onde se come massas de todo o tipo; quentes e frias. Em saladas.No forno. Macarrão, penne, fusilli, tagliatelli. E tantas outras. Há até a aletria que os nortenhos adoram, sobretudo no natal e na páscoa. Eu também, que tenho lá as minhas origens e isso está na massa do sangue. Há também a massapão mas isso são contas de outro rosário e tem a ver com o sul e os doces bem algarvios. E por fim há também uma forma de fazer pão que é amassando a massa, ou rebocando paredes que é fazendo argamassa. 
Da outra massa há muita variedade evidentemente,só que não se passeia pelas nossas contas com a mesma variedade de quem está bem instalado na vida e com os bolsos a deitar fora de tanta massa que conseguem, sabe-se lá como, ou sabe-se lá porquê. 
Ocorre-me a canção de intervenção tão actual: eles comem tudo, eles comem tudo, eles comem tudo e não deixam nada. Nem sequer uma bolonhesa para nos aconchegar o estômago e a alma.
Enfim, com todo este relambório esqueci-me de dizer que hoje o meu almoço é uma massa negra com salmão fumado. É para celebrar o dia, que eu gosto de celebrações. Quem encostou a barriguinha ao balcão assim como que a dizer que aqui quem é a pessoa da massa, quem é ?! A minha cria que por acaso adora massas. 
Ah, a propósito, levou-me ao Campo Pequeno no domingo, à pizaria Delci. Eu escolhi pasta à Delci. Maravilhosa. Ela pasta ao pesto. Maravilhosa também. Quanto à massa despendida, enfim, nem tanto ao mar nem tanto à terra. Pode dizer-se que já comi muito mais caro em Lisboa e não tão bem. O atendimento óptimo e o lugar um must. As pessoas que lá estavam, tudo gente com alguma massa e querendo comer massa. 

m.c.s.
Não gosto ·  · Não seguir publicação · há 9 minutos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: