Publicado por: Filomena Barata | Agosto 23, 2012

Isa Pontes, Meu amor, meu amor …

ABRIL

Meu amor…
Meu amor…

jacarandás. Fotografia Filomena Barata

É Abril. Chegou a Primavera e com ela o vale ganhou novos matizes. Os muros estão cheios de glicínias de um azul anil, cadenciando ao sabor do vento. Há melros no jardim onde, tu sabes, brincam duendes pequeninos.
Era Abril e diziam haver cravos rubros espalhados por aí. Para mim, eu

adivinhava ser o princípio do nosso fim. E foi.
Em Abril fechámos as portas da nossa casa que tinha sido a nossa cidadela e começámos a nossa caminhada de judeus errantes…
E foi em Abril que tu partiste…
É Abril e fecho os olhos para melhor ver-te, disfarçando a dor das minhas fragilidades. Sabes lá o que tantas Primaveras fizeram ao meu corpo por ti idolatrado e dizias querer proteger numa redoma de cristal… Os seios a lembrar pináculos de catedrais, em noites de rebita, jazem agora inertes e a minha pele, que dizias lembrar-te um pêssego aveludado, virou uma coisa enrugada e sem viço.
Restam-me os olhos de jacarandá em flor. São eles que ainda te procuram.
É Abril e não sei onde buscar-te… Em mim, ainda arde a febre que tu fizeste descobrirmos.
Por onde andas?
É Abril e eu não sei viver sem ti.Raquel

««««««««««««««««««««««««««««««««««

ISA PONTES


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: