Publicado por: Filomena Barata | Novembro 9, 2011

Álvaro Silva, Queria eu poder um dia …

Vista de Évora a partir da Sé

queria poder um dia
escrever na lápide
do fim da minha existência,
estes sentires que me atribulam a alma
estes sentires que me tornam
… um desconhecido de mim mesmoqueria eu poder um dia
deixar meus sentires
por aqueles que amo
em páginas lidas
e apregoadas ao vento
para que dúvida nenhuma surgisse
sobre o amor que sinto
por aqueles que tanto amo.e assim dissipar os comentários malévolos
dos vulgos mal dicentes.

queria eu um dia
falar de mim
falar dos meus amigos
falar daqueles que amo
sem mágoas,nem rancores
sem lágrimas e sem dor

 
para poder então dizer
amo
amo sim
meus filhos e minha mulher.
amo
amo sim meus amigos
amo
amo sim
aqueles que comigo partilham
a minha existência
nesta vida fugaz
nesta vida efémera.Assim, sem prumos nem arrumos…, simples e espontaneo, marco com esta presença o fim do meu absentismo neste grupo de gente que sente com o sentir de quem verdadeiramente sente.Aos críticos, minha mão a palmatória, aos amigos e aos que comigo partilham o entendimento na mensagem que deixo , a minha vénia.Alto Dondo,08 de Novembro de 2011 – 0h 45′.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: