Publicado por: Filomena Barata | Setembro 25, 2011

Filomena Barata, Vamos conhecer os recursos paisagísticos de Cabinda?

 

Nº FOTOS VOTOS  PAISAGENS DE CABINDA
 
Total
1 Baia Molemba— Alípio — 1
2 Maiombe— Filomena;José Dalha;Manuela Freitas;Maria Celeste — 4
3 Foz Rio Chiloango— Idalina Oranth ; Mwanda Nsemy;Francisco Pinto;Madalena Gonçalves — 4… 4 Por do Sol— Cristina Rocha — 15 Arvore— Maria Jose França;Ana Portugal;Rui Trigueiro ;Ana Silveira– 4
6 Lavadeiras— Cristina Mendes;– 1
7 Por do Sol 2—
8 Praia Cangongo— Gavino; Aloisio Cruz– 2
9 Rio Locola— Lito;Alvaro;Gaspar;Fátima Brito;David;Anabela;Milita;Ana Paula Fonseca;Elisa Diogo;Jorge Grift — 1010 Ponte— Olga Sofia; André Primo; — 229

Ao Alípio Mendes o Grupo agradece todo o apoio para que fosse possível que as paisagens de Cabinda fossem melhor conhecidas.

 

Praia da aldeia do Malembo. Fotografia de Francisco Pinto.

 

 
    • Baía do Malembo, a 30 kms da cidade de Cabinda.  
 

 
 
 
 
Fotografia de Francisco Pinto.
Praía do Malembo, a 30 kms da cidade de Cabinda.
    • ·
 

 Fotografia de Manuela Luís
 
 
 
 
 
 

 
Lucola, Cabinda.
 
Fotografia de Manuela Luís 
 
  
 
 

 
    •  
      David Rodrigues praia do Fútila, Cabinda.
    •  
      David Rodriguesacaba a praia e a vegetação é densa, com familias no meio. sensacional.

      há cerca de uma hora ·GostoNão gosto
    • Filomena BarataDavid, quer falar-nos um pouco da vegetação de forma podermos importar também a sua informação para o blogue? É, de facto, muito bonito ester local.

      há cerca de uma hora ·GostoNão gosto · 1 pessoaA carregar…
    •  
    •  
      David Rodrigueseu tenho umas fotografias de uns passeios que fiz á floresta do Maiombe entre outros, mas estão mesmo em Cabinda. Vou tentar pedir as fotografias ao meu pai ! de dia em certos sítios, para entrar na floresta, tem que levar lanterna ou gambiarra, a vegetação não deixa o sol entrar, anda 20 metros é não se vê nada. Olhando afastado para a floresta, no meio de vários tons de ver e não só, vermelhor, lilás, inumeras cores, saiem arvores com 50, 60 ,70 metros de altura. nunca vi uma coisa assim.. quilometros. Cabinda, exporta madeira de considerada luxo.

      há cerca de uma hora ·GostoNão gosto
  • Filomena BarataObrigada David. Quando importarmos estas fotografias para o blogue, se nos autorizar, levaremos também os seus comentários, pois, como dizia acima, o blogue é feito com os nossos tes

     

     

    ·
        • Lucola, Cabinda
        •  
        • ———————————————————————
        •  FLORESTA DE MAIOMBE

        • A floresta guineo-congolesa, representada maioritariamente pela floresta de
          … Maiombe, é um dos grandes biomas de Angola.

        • Esta floresta estende-se desde a República Democrática do Congo até ao Gabão passando pela República de Angola e a República do Congo.
          Com uma extensão estimada a mais de 2000 km2 em Angola, a floresta de Maiombe é a mais rica floresta angolana em termo de diversidade específica.

        • É a única floresta angolana que alberga espécies de dois grandes primatas, o chimpanzé (Pan troglodytes) e o gorila da planície (Gorilla gorilla).
          A floresta de Maiombe e a sua biodiversidade estão hoje em dia ameaçadas.

        • A maior ameaça a esta biodiversidade é devida às pressões humanas, ligadas principalmente à exploração selectiva e não sustentável de madeiras, agricultura itinerante e a caça furtiva.
          Angola está actualmente a trabalhar sobre dois grandes projectos para a conservação desta biodiversidade: Criação do Parque Nacional de Maiombe e Criação da Área Transfronteiriça de Maiombe.
          A Proposta da criação da Parque Nacional de Maiombe já foi aprovada pelo Executivo angolano. Este Parque Nacional vai cobrir quase a totalidade da floresta de Maiombe, desde de Belize até Inhuca, passando por Buco-Zau.
          A Área Transfronteiriça de Conservação de Maiombe (ATFC-Maiombe) vai se estender desde da República Democrática do Congo até a República do
          Congo, passando pela República de Angola, na Província de Cabinda.
          Nos trabalhos de campo efectuados recentemente, foram identificados os corredores da biodiversidade entre os três países, bem como foram identificados os tipos de conflito “Homem-Animal”.
          Os processos estudos serão primordiais para, tanto a criação do Parque Nacional de Maiombe, como para a criação da ATFC-Maiombe.

        • Miguel Xavier

        
    •  
      FLORESTA DE MAIOMBE
      A floresta guineo-congolesa, representada maioritariamente pela floresta de
      Maiombe, é um dos grandes biomas de Angola. Esta floresta estende-se desde
      da Republica Democrática do Congo até ao Gabão passando pela República
      de Angola e a Republica do Congo.

      Com uma extensão estimada a mais de 2000 km2 em Angola, a floresta de
      Maiombe é a mais rica floresta angolana em termo de diversidade específica. É
      a única floresta angolana que alberga espécies de dois grandes primatas, o
      chimpanzé (Pan troglodytes) e o gorila da planície (Gorilla gorilla).

      A floresta de Maiombe e a sua biodiversidade estão hoje em dia ameaçadas. A
      maior ameaça a esta biodiversidade é devida às pressões humanas, ligadas
      principalmente à exploração selectiva e não sustentável de madeiras,
      agricultura itinerante e a caça furtiva.

      Angola está actualmente a trabalhar sobre dois grandes projectos para a
      conservação desta biodiversidade: Criação do Parque Nacional de Maiombe e
      Criação da Área Transfronteiriça de Maiombe.

      A Proposta da criação da Parque Nacional de Maiombe já foi aprovado pelo
      Executivo angolano. Este Parque Nacional vai cobrir quase a totalidade da
      floresta de Maiombe, desde de Belize até Inhuca, passando por Buco-Zau.
      A Área Transfronteiriça de Conservação de Maiombe (ATFC-Maiombe) vai se
      estender desde da República Democrática do Congo até a República do
      Congo, passando pela República de Angola, na Província de Cabinda.

      Nos trabalhos de campo efectuados recentemente, foram identificados os
      corredores da biodiversidade entre os três países, bem como foram
      identificados os tipos de conflito “Homem-Animal”.

      Os processos estudos serão primordiais para, tanto a criação do Parque
      Nacional de Maiombe, como para a criação da ATFC-Maiombe.

      Será que já existem estudos sobre os gorilas em Angola?
      Será que existem estudos da vegetação desta floresta?
      Ou vamos perder espécies sem saber que 1 dia existiram aí?

    Foz do Rio Chiloango

    Foz do Rio Chiloango. Fotografia de Lito Martin.

    O rio, por si só, é um autêntico pólo de atracção turística quase em todo o seu curso. No Passado, o Chiloango, o maior rio da província, serviu de via de comunicação para o escoamento da madeira da floresta do Maiombe, sendo assim as suas águas navegadas por pequenas embarcações carregadas de toros de madeira.

  • A sua foz, onde desaguando no Atlântico, o rio Chiloango tem uma beleza ímpar, motivo pelo que é muito apetecível aos turistas.

  •  Sobre a ponte que vence o rio, é possível contemplar o esplendor da natureza que faz da foz do Chiloango um sítio de excelência do ponto de vista paisagístico.

  • O Chiloango é o rio mais imponente de toda a Província. Nasce no Zaire e faz fronteira em parte do seu percurso, entre aquele país e Cabinda, desaguando no Oceano Atlântico, próximo de Lândana. Na foz, o Chiloango forma uma grande zona pantanosa que sofre interferências das marés. É um rio de caudal ligeiramente superior à média, navegável numa grande extensão do seu curso. Teve, aliás, como já mencionado, uma importância extraordinária no desenvolvimento do interior, relacionado com transporte de mercadorias e pessoas antes da construção da rede de estradas.

  • O rio é navegável por cerca de 160 km, desde a sua foz em Lândana até à sua confluência com o Luáli, à entrada da floresta do Maiombe, e a sua bacia hidrográfica estende-se por 5.170 km².

     
     

     
     
        
     

Responses

  1. ESTIVE NO MAIOMBE 28 MESES-MILITAR-PENA QUE FOSSE EM GUERRA POIS É LINDISSINA A FLORESTA E SUAS GENTES HOSPITALEIRAS-BATALHÃO 1886(1966 A 1968)


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: