Publicado por: Filomena Barata | Junho 1, 2011

Abutresonoros Blogspot, Nada é sempre

Abutresonoros Blogspot

 
nada é sempre,
 prelúdio do esquecimento
um dia alguém será uma memória em mim,
os livros não cabem no meu corpo,
a poeira da estrada é superfície
que cobre a poesia.Nada é sempre
Um pedaço de carne
No percurso da hipótese
No transcorrer do minuto
Meu sangue foge de mim
é vermelho se eu não soubesse
O carinho da dor,Nada é sempre
A parte do infinito
Um homem e suas dúvidas
Entre o amor e a solidão
Entre o labirinto e a perdição
Um homem vive de suas escolhas
Um homem é parte do nada
Quando erra,
O vento da noite errante
Parece-me
Somos erros á parte

Vivemos no infinito

Nada é sempre

Meu coração
A cor dos meus olhos
A minha face
O meu sentimento.
Não posso oferecer
O meu coração
Não é meu,
Não posso oferecer a minha voz
O meu silêncio posso,
Pertence ao nada,
O amor aqui dentro não posso
Deixar-te,
Não o tenho mais.
Nada é sempre
O agora é o instante
Que carrego
Dentro desses ossos,
A deriva na minha carne
Exposta.

Nada me pertence.

 
Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: