Publicado por: Filomena Barata | Fevereiro 28, 2011

Filomena Barata, Dia dos Monumentos e Sítios


Mais informação
Poderíamos assinalá-lo no Facebook e aqui através da selecção de dois ou três monumentos (edificados ou paisagísticos) ou mesmo de pequenos exemplos patrimoniais de Angola e de Portugal, divulgando-os e chamando a atenção para eventuais questões de conservação da sua integridade, através de fotografias e pequenas memórias descritivas.

Aproveitando uma sugestão que nos foi dada por João Paulo Pereira, e uma vez que este ano certamente não iremos a tempo de implicar outras entidades neste evento, desde já deixo o repto de se fazerem levantamentos fotográficos dos sistemas de rega e de contenção da água tradicionais, em Angola e em Portugal.

No caso Português, como também foi sugerido por João Paulo Pereira, poder-se-á melhor dar a conhecer o Universo Romano, pois introduziu sistemas de aprovisionamento que revolucionaram o aproveitamento e distribuição da água, designadamente com a construção de barragens e de tanques em alvenaria, bem como a canalização em meio urbano e doméstico.

Assim, iremos propor aos administradores de outros dois Grupos que connosco partilhem esta iniciativa, designadamente o Grupo «Alentejanos no Facebook», pois pode dar um grande contributo nesta matéria, uma vez que se encontra a tratar os recursos do Alentejo através dos Elementos e o o Grupo «Portugal Romano».

Futuramente, deveríamos admitir e tentar que iniciativas concretas se realizem nos próprios locais e não apenas de forma virtual

Refiro que, em Portugal, a entidade que coordena as iniciativas relacionadas com o dia dos Monumentos e Sítios é o IGESPAR, do Ministério da Cultura e, este ano, o tema aglutinador é a ÁGUA, a quem nos vamos tentar associar desta forma, esperando encontrar em Angola uma parceria que a nós se associe.

Abaixo transcrevo a sugestão que nos foi proposta e que integrámos nesta iniciativa.
  • Se o tema é a água … pode-se pegar nestes vários tipos de monumentos e sítios: barragens e pequenos açudes (romanos e posteriores), canais de rega, sistema de rega / de captação, etc. passando pelos sistema de uso da água (as pequenas hortas juntos aos sítios …) e depois os sistemae de descarga de águas usadas (casas de banho romanas?). Para Angola sugeria a estratégias antigas de recolha de água nas zonas mais desérticas (ou não). Nas zonas junto a linhas de água os sistemas rudimentares, eventualmente mais amigos do ambiente, que se usavam (usam) para rega.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: