Publicado por: Filomena Barata | Maio 16, 2009

>«Entronização», Leonor de Almeida (reed)

>
«Tenho o braço cansado,
A mão dorida, trôpega …
Mas uma espécie de ânsia sôfrega ordena:
Empurrar tudo!
– Não quero, nem passado
Nem presente
Nem futuro

O braço faz de muro
A mão abre caminho, coerente …

Quero uma estrada cá dentro …
lisa, plana,
Para a tua palavra mágica, profética,
Bela e magnética,
Passear livremente,
E demoradamente !!…»

Antologia de Poesia Portuguesa, 1940-1977 (1º volume)
coor. Maria Alberta Menéres e E.M. de Melo e Castro)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: