Publicado por: Filomena Barata | Dezembro 17, 2008

>Poemas, Victor Hugo

>
«Vi um anjo branco que sobre mim passava;
O seu voo luminoso a tormenta acalmava,
E fazia calar ao longe o mar ruidoso.
– Que vens fazer, anjo, neste lugar tenebroso?
Respondeu: – A tua alma eu venho buscar.
Tive medo porque ouvi uma mulher a falar;
E disse-lhe, estendendo os braços a tremer:
– Que me restará? pois tu vais desaparecer.
Calou-se; o céu onde a sombra leva a palma

Escurecia … Disse: Se levares a minha alma,
Aonde a levarás? mostra-me pra que lugar.
Continuava calado. – Ó viajante do celeste lar,
Serás tu a morte? perguntei, ou és a vida?
Senti sobre a minha alma a noite estendida,
E o anjo tornou-se negro, dizendo: Sou o amor.
A fronte era mais clara que o dia em seu esplendor,
E eu via, na sombra onde luzia o seu olhar,
Os astros, através das asas, a brilhar».

Victor Hugo, in Poemário, Assírio & Alvim, 2008

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: