Publicado por: Filomena Barata | Novembro 28, 2008

Filomena Barata, De que falam as pedras, afinal? (reed.)

>
Cromeleque dos Almendres

As pedras falam do tempo, das crenças, de um território e da forma como os Homens sempre dele se apropriaram, deixando marcas, transmutando-as em marcos de um espaço simbólico, mas também prático, vivencial, porque sinal para outros transeuntes?????
De que falam estas pedras, afinal?

Das construções de pedra seca e do seu tempo imemorial; das pedras já afeiçoadas ou aparelhadas, que Roma levou a todo o Império imprimindo maior capacidade e rapidez na construção?

Falam das pedreiras e dos carreamentos feitos até ao local da construção?

Falam das siglas dos pedreiros construtores?

Tanto podem falar as pedras. Por vezes, muito mais do que tantos mortais.

Mérida, Extremadura, Espanha


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: