Publicado por: Filomena Barata | Outubro 1, 2008

Conhece a Fundação Arpad Szenes – Vieira da Silva e o Jardim das Amoreiras em Lisboa?

O Aqueduto de Lisboa e o jardim das Amoreiras

>

Capela de Nossa Senhora de Monserrate, Jardim das Amoreiras. Fotografias de Filomena Barata



Vale a pena conhecer esta fundação e o notável trabalho da dupla de pintores Arpad Szenes-Vieira da Silva.

«A Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva foi criada a 10 de Maio de 1990, segundo o Decreto-Lei 140/90 e tem como primordial objectivo promover a divulgação e o estudo da obra do casal.

A Fundação gere um museu destinado a expor as obras de Arpad Szenes e de Vieira da Silva, tal como de outros artistas contemporâneos. Foi também criado um centro de investigação e de documentação sobre o trabalho de ambos. Nela promovidas, exposições, colóquios, conferências ou manifestações de qualquer tipo, sobre temas que possam contribuir para o aperfeiçoamento da arte contemporânea, assim como para o desenvolvimento da cultura e da educação.

Toda a colecção existente nesta fundação é constituída por obras da pintora Maria Helena Vieira da Silva. Este património veio para Portugal em função de um acordo estabelecido entre o Estado Francês e o Estado Português. A Fundação conseguiu também ter acesso a depósitos de instituições e de coleccionadores particulares.

Com o apoio de várias outras fundações, nomeadamente Fundação Caloueste Gulbenkian, foi possível, em pouco mais de três anos, construir e instalar a Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva num edifício cedido pela Câmara Municipal de Lisboa, a antiga «Fábrica dos Tecidos de Seda».

A escolha deste edifício ficou a dever-se à intrínseca relação entre o casal e esta praça, visto que o seu atelier/casa se situava-se a escassos metros. Integrado numa malha urbana projectada por Carlos Mardel em 1759, este edifício setecentista foi inicialmente projectado para albergar os artífices e aprendizes da Real Fábrica das Sedas. A praça fronteira ao edifício junto aos arcos do aqueduto, também da autoria de Mardel, é bastante valorizada por este conjunto.

Em 1873, foram retiradas as Amoreiras (que de tão célebres, deram até o nome à praça), tendo sido esta praça transformada num jardim romântico».

O Jardim das Amoreiras, denominado por Jardim Marcelino Mesquita, fica situado na Praça das Amoreiras, em Lisboa, sendo delimitado em pelo soberano aqueduto das Águas Livres e localiza-se sobre a extraodinária Mãe d’Água, para abastecimento histórico da cidade de Lisboa .

Pode ainda ver na praça adossada ao aqueduto a capela de Nossa Senhora de Monserrate mandada edificadar pela Irmandade dos Fabricantes de Seda, no século XVIII.

Centrando o jardim, existe um fontanário de forma circular, ladeado por belíssimos bancos de pedra.

Na Fundação Arpad Szenes – Vieira da Silva, pode adquirir-se ainda uma pequena (mas muito bonita) publicação monográfica sobre “Le couple”, «Vieira da Siva/Arpad Szenes e o castelo Surrealista», com texto de João Pinharanda, editada pela Fundação EDP, a propósito da exposição sobre estes pintores que se realizou no Museu da Electricidade que recomendo.

http://www.mulheres-ps20.ipp.pt/VieiradaSilva-3.htm

Para mais informações, pode ver ainda:

http://fasvs.pt/exposicoes/image/208

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: