Publicado por: Filomena Barata | Setembro 20, 2008

>Callas – a Diva

>


Dela ficou o mito: de todas as personagens que representou, rainhas, deusas, mulheres de sofrimento ou de vingaça, como bem refere o texto introdutório da exposição.

Dela ficou a voz que conquistou o mundo; o mundo “tudo” lhe deu, mas não soube, no fundo, dar uma “casa” que não fosse o “palco”.

Vou ouvi-la, na “Norma”, que, tal como a “Medeia”, a “Madama Butterfly” ou o “Turco em Itália”, entre outras obras, a minha mãe me ofereceu.

Quem nunca chorou a ouvi-la cantar, também não saberá o que mais fundo a vida pode ter, desculpar-me-ão os que me lerem e a quem tal nunca aconteceu.

A ti Bettips, hoje, este ínsipido texto da Callas, mas saberás bem porquê, não preciso de o dizer…

À Mariana, que comigo foi ver a exposição, e que reclamará, pela certa, de me ouvir escutar a M. Butterfly.
Se ainda não a foram ver, vão, vão sim!

Anúncios

Responses

  1. >A Callas, claro. A Norma, obviamente. Caminhos comuns os nossos, em sítios de alta tensão:))Foi bom descobrir-te.Um beijo.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: