Publicado por: Filomena Barata | Setembro 15, 2008

Fonte, Herberto Helder

 

Publicado por Filomena Barata

>
(…)
Imagino que seria possível tocares porventura
a minha boca. Tocares-me tão viva ou tão misteriosamente
que eu estremecesse nas traves
da cega inspiração. Poderias estar vergada sobre os meus
ombros até que as lágrimas
na minha boca se confundissem com a ansiosa subtileza
dos teus dedos, e eu me sentisse
perdido entre os pilares e os túneis das cidades
ressoantes
.

Depois talvez pudesse vir com o rosto um pouco coberto
de poeira,
e os olhos delicados de mulher restituída,
e os pés brilhando sobre os caminhos do meu silêncio
exaltado

– talvez
pudesses salvar um pensamento, ou uma
breve música pode acordar do abismo inocente
da noite
um instrumento encerrado nas cordas extenuadas

Fonte, VI, Herberto Helder
Assírio & Alvim

Anúncios

Responses

  1. >Uma cidade cheia de chuva …Que estranho que o tempo seja um lugar comum, igual a nada, quando se procura o sol e as estrelas. E que bem ficam em ti as palavras de HH.!Bjinho


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: