Publicado por: Filomena Barata | Maio 22, 2008

Entronização, Leonor de Almeida

Publicado por Filomena Barata

Tenho o braço cansado,
A mão dorida, trôpega …
Mas uma espécie de ânsia sôfrega
Ordena:
Empurrar tudo!
– Não quero, nem passado,
Nem presente,
Nem futuro! –

O braço faz de muro,
A mão abre caminho, coerente …

Quero uma estrada cá dentro … lisa, plena,
Para a tua palavra mágica, profética,
Bela e magnética,
Passear livremente,
E demoradamente!…
(Antologia da Poesia Portuguesa
1940- 1977, 1º Volume)

Anúncios

Responses

  1. >Hei-de vir. Neste momento e desde há meses (em outro ano foi…Odrinhas…) que “museu” tem a ver com o que descobri ou vou descobrindo.Abç

  2. >… vim ler e só me atrevi a deixar um comentário no post anterior.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: